Quais os aspectos laboratoriais do ácido úrico? - PEBMED

2021-12-31 18:23:33 By : Ms. Lisa Zhang

Ótimo, agora revise seus dados e preencha o que estiver em branco para iniciar o download

Clique o botão abaixo para iniciar o seu download

Home / Medicina Laboratorial / Quais os aspectos laboratoriais do ácido úrico?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Caso tenha interesse em mais conteúdos e cursos voltados para residência médica, conheça a Medcel, o site parceiro da PEBMED

O ácido úrico, também chamado de urato, é o produto final do catabolismo completo das purinas, que são bases nitrogenadas encontradas nos ácidos nucleicos (RNA e DNA). Ele apresenta síntese, majoritariamente, hepática e na mucosa intestinal, locais onde existem a enzima xantina-oxidase.

Suas concentrações estão relacionadas a múltiplos fatores, como dieta, produção endógena, hereditariedade e eliminação, tanto renal (reabsorção do ácido úrico nos túbulos proximais, secreção na porção distal e reabsorção nos túbulos distais), quanto pelo trato gastrointestinal (em menores proporções). Quando há um desequilíbrio entre produção e excreção, seus níveis séricos podem elevar-se, gerando um quadro de hiperuricemia.

A fim de avaliar seu metabolismo, ele pode ser dosado no sangue (soro) e na urina (amostra de 24 horas). Para sua análise sérica, alguns laboratórios clínicos recomendam que a amostra seja coletada pela manhã, em jejum de 8 horas, devendo ser utilizado o tubo de coleta para soro (tampa vermelha/amarela). O paciente deve evitar o uso de bebidas alcóolicas e de praticar exercícios físicos antes da coleta.

Já para a sua determinação na urina de 24 horas, a coleta deve ser feita em um frasco adequado fornecido pelo laboratório, contendo um conservante específico (carbonato de sódio).

A dosagem do ácido úrico no sangue e/ou na urina pode ser solicitada em algumas condições clínicas, como na avaliação de hiperuricemia/hiperuricosúria, gota, na investigação e acompanhamento de nefrolitíase e na monitoração de pacientes em quimioterapia/radioterapia, por exemplo.

Dado a possibilidade da sua determinação ser realizada em diferentes plataformas analíticas, com metodologias e fabricantes diversos, os interferentes analíticos, bem como os valores de referência podem variar entre os laboratórios clínicos. De um modo geral, suas concentrações são maiores durante o dia e menores à noite.

No soro, o uso de uma grande variedade medicamentos (ex.: ácido ascórbico, aspirina, alfametildopa, levodopa, alopurinol, cefotaxima, clorpromazina, espironolactona, prednisolona, dentre outros), bem como a coleta do sangue em tubos de coleta contendo oxalato de potássio, pode gerar interferências analíticas/farmacológicas em alguns ensaios.

Por sua vez, a sua dosagem na urina, utilizando frascos sem o conservante adequado (carbonato de cálcio), o uso de anti-inflamatórios, contrastes radiológicos, ácido ascórbico, diuréticos e varfarina, podem influenciar a excreção renal do ácido úrico, prejudicando a correta interpretação dos resultados.

Assim como todo exame laboratorial, as concentrações de ácido úrico devem ser sempre interpretadas e correlacionadas com os dados clínicos, em conjunto com outros exames complementares e à luz de suas particularidades analíticas.

Quando bem indicado, ele é um importante marcador para o acompanhamento do tratamento de pacientes com gota ou sob regime quimio/radioterápico, a fim de evitar a deposição renal de urato e uma possível insuficiência renal.

Leia também: Aprovada a matriz de competências dos Programas de Residência Médica em Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Conteúdos Relacionados ECCMID 2021: RT-PCR ou teste rápido de antígeno para Covid-19? 19 Jul. 2021 3 min Check-up Semanal: updates sobre câncer de ovário, manejo da asma grave e mais! [podcast] 09 Nov. 2021 1 min Avaliação da fase pré-analítica do exame de urina de rotina 17 Jun. 2021 3 min Quais os aspectos laboratoriais do ácido úrico? 04 Oct. 2021 2 min Autor:

ECCMID 2021: RT-PCR ou teste rápido de antígeno para Covid-19?

Check-up Semanal: updates sobre câncer de ovário, manejo da asma grave e mais! [podcast]

Avaliação da fase pré-analítica do exame de urina de rotina

Quais os aspectos laboratoriais do ácido úrico?

Graduação em Medicina pela Universidade Gama Filho (UGF) • Residência Médica em Patologia Clínica/Medicina Laboratorial pela Universidade Federal Fluminense (UFF) • Membro titular da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) • Pós-Graduado em Medicina do Trabalho pela Faculdade Souza Marques (FTESM) • Médico Patologista Clínico do Laboratório Morales • Médico Patologista Clínico do Laboratório Central do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP/UFF) • Médico do corpo clínico do Instituto Estadual de Doenças do Tórax Ary Parreiras (IETAP)

O que você precisa saber para aprimorar sua gestão clínica

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Caso tenha interesse em mais conteúdos e cursos voltados para residência médica, conheça a Medcel, o site parceiro da PEBMED

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Aprovada a matriz de competências dos Programas de Residência Médica em Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Urinálise: fatores pré-analíticos a serem considerados

Interpretação de exames laboratoriais: o que todo médico deve saber – Parte II

Quiz: Resultados divergentes de proteína urinária. O que será?

Quiz: Sindactilia em paciente pediátrico

Quiz: você sabe o nome dessa reação na pele?

Quiz: homem jovem com cicatrizes no pescoço. Qual o diagnóstico?

Quiz: relato de prolapso anal e hematoquezia. Qual será o diagnóstico?

Quiz: Resultados divergentes de proteína urinária. O que será?

Por favor preencha com alguma especialidade.

Enviaremos apenas notificações sobre os assuntos selecionados anteriormente.

Por favor escolha pelo menos uma das opções.

Seu comentário será analisado e publicado em breve, se estiver em conformidade com os nossos Termos de Uso.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Confira nossa Politica de cookies.

Descubra como estamos fazendo história no cenário da saúde do país.

© Copyright 2021 PEBMED - Todos os direitos reservados